domingo, 2 de dezembro de 2012

Juliana Corrêa Silva

Nome: Juliana Corrêa Silva

Cidade: São Paulo

Idade: 25



Fale um pouco sobre você: 
Eu sou paulistana, mas morei em São José, grande Florianópolis, durante 7 anos e foi lá onde comecei a treinar.
Voltei pra São Paulo em 2009 e, por ter vergonha de ir aos treinos sozinha e por estar trabalhando aos fins de semana, dei uma parada nos treinos. Voltei em 2010, quando resolvi a comparecer a um treino marcado na comunidade e depois disso só parei quando trinquei meu tornozelo. Torci fazendo um cat leap e acabei trincando ele.
Demorei um pouco pra recuperar minha força e confiança pra treinar de novo, mas mesmo assim tinha certeza que voltaria a treinar e voltei. Confesso que conhecer outras pessoas pra treinar junto e ver que haviam outras meninas treinando também, me motivaram bastante.
Em 2011 fui para os EUA e tive que aprender a treinar sozinha. Eu não tinha muita disciplina pra ficar treinando repetição, mas ficava explorando as possibilidades de movimentação nos lugares que achava. Agora estou de volta, e é muito bom ter pessoas que eu confio pra treinar junto.



Há quanto tempo você treina? Comecei a treinar em 2008 em Floripa, mas tive minhas idas e vindas.

Como você conheceu o parkour? 
Pelo que eu me lembro, uma tia minha mandou um vídeo do David Belle por e-mail para o meu irmão e foi então que ele descobriu o nome parkour. Depois disso ele passou a assistir vários vídeos no youtube e me mostrava o que mais o chamava atenção. A príncipio, eu achava loucura assistir aqueles caras pulando de um prédio pro outro, mas com o tempo, e principalemente depois dos vídeos do Blane, fui descobrindo que parkour era mais do que sair se jogando, que havia uma filosofia por trás e que essa prática significava fazer as coisas com precisão, ter força, equilibrio e controle. Acho que foi isso que mais me chamou atenção e me motivou a treinar, além claro da insistência do meu irmão e do amigo dele.




O que você viu no parkour? 
Vou ser bem modinha agora, mas eu acho parkour lindo. Eu sempre admirei o controle que as pessoas tinham de seus corpos, não só no parkour, mas também na dança, no handebol e em outros esportes. Mas eu achei no parkour uma chance de conhecer melhor meu corpo.

O que o parkour significa para você? 
Pra mim é uma forma de desafiar minha mente, de superar meus medos.

Quais foram os seus maiores desafios? 
Com certeza controlar meus medos, principalmente medo de altura.






0 comentários:

Postar um comentário