terça-feira, 3 de junho de 2014

Renovar o olhar

Por Tatiana Silva, em http://omnisproparkour.blogspot.com.br/

Viajar enriquece a alma! E, digo mais, renova o olhar para muita coisa. Fiz no mês passado uma viagem à Ucrânia. Acho que todo mundo sabe disso porque basicamente falo pelo menos umas três vezes ao dia sobre a viagem e as pessoas que conheci lá.

A ideia da viagem era fazer algo que sempre tinha vontade, mas nunca tinha tempo, dinheiro, espaço. Sem contar as desculpas que sempre me dei para deixar sempre para uma próxima oportunidade. Tomei vergonha e acabei encarando a viagem sozinha e com apenas dois contatos da cidade.

Um dos contatos era o Max do parkour de Kiev. Se eu vou a uma cidade que eu já tinha assistido a alguns vídeos, por que não tentar conhecer a galera da região? Encontrar o pessoal de Kiev só aconteceu na terceira tentativa. É uma aventura tentar encontrar um local quando não se entende muita coisa da língua local, e o seu celular resolve não colaborar muito.

Mas, vamos falar sobre o parkour? Como conversei há alguns dias com o Dênis, é interessante ver que algumas iniciativas que vemos por aqui, também vemos em outros lugares do mundo. Parece que há um sentimento que todo mundo divide de querer ver a atividade crescer, dedicando o seu tempo para ajudar os novos praticantes. Eu me pergunto se esse tipo de comportamento não é um reflexo do que vejo dentro de alguns grupos. Quando a relação é muito boa entre eles ao longo do treino, tem como não querer passar aos outros? Me lembro de que ao treinar com os rapazes via um clima de amizade tão bom entre eles. Algo que vi parecido entre os meninos de Taubaté.

E os treinos? Os rapazes são bem fortes. E em um dos treinos, eles me explicaram que treinavam escalada nos muros de pedra (aqueles muros lindos!). Você olha o desafio e não acha difícil, até se por a fazer. Interessante é que no último treino da madrugada encontramos um muro sujo e tentamos escalá-lo. Por conta de uma coisa que relatei do treino em Kiev, acabamos por enxergar mais coisas a fazer no Rio. Sem contar que para mim, foi um aprendizado do que ando negligenciando nos meus treinos.

Aliás, fazia tempos que eu havia abandonado os treinos com o pessoal. Andava em uma onda de treinar sozinha, e isso quando treinava. Viajar me fez renovar as forças e a vontade de reunir o pessoal para treinar. Me trouxe aquela esperança de que a atividade pode crescer sim. E como eu precisava disso. A evolução é minha, mas a fé e a amizade inspiram e nos fazem acreditar em mais.  Agora a vontade é de trazer para o encontro carioca um pouco dessa energia. Tirar um pouco das pessoas o "Hey! Olha o meu vídeo!", o "Sai da frente que eu vou filmar!" e inspirar a terem mais de "Vamos treinar juntos!", "Eu sei que você consegue!" e "Já pensou em fazer assim?!". Parar de ter os valores da boca para fora. Ter esses dentro dos treinos e com quem se convive.

Parkour, passe adiante!

0 comentários:

Postar um comentário