terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Pé despido

Vi um vídeo há alguns dias que me fez lembrar de um hábito que o Gustavo de Salvador: pés descalços. Tinha me prometido tempos atrás que sempre que pudesse,  treinaria descalça. Porém,  a ideia caía no esquecimento. E só tinha aproveitado para treinar assim só umas duas ou três vezes, e no meio do treino.

Aproveitei que o meu joelho inflamou devido às precisões que fiz no encontro feminino, e deixei a semana leve, fazendo fortalecimento e caminhadas. Hoje despi os pés durante o treino todo.  Uma coisa que não precisa ser profissional de saúde para entender que temos mais cuidado ao andar, pular. O tênis macio nos deixa um pouco descuidados com a postura.  Os pés nus nos acusam na hora que fazemos algo errado.

E foi isso que eles fizeram. Aquele descuido do bate a perna em algum lugar não aconteceu, pois eu queria proteger o meu pé de qualquer força, cheguei mais macia... E o joelho cansado (afinal, sou uma idosa de 30 anos) não reclamou. Aliás, foi uma das melhores sensações para o restante do corpo, pois a sola do pé reclamava da areia, das pedras portuguesas, do corrimão com vela, do muro chapiscado. Não posso falar por outras cidades, mas no Rio as praças quase sempre têm pedras portuguesas, o que torna incômodo o amortecimento. Agora me diz... com tanto muro escorregadio no Rio, o treino de hoje teve direito a muro com chapisco. Não! Definitivamente meu pé não gostou da experiência. Acabou ralado. 

Vou marcar pelo menos uma vez ao mês de fazer o treino descalça. Vou tomar vergonha na cara e repetir a dose mais vezes. Bora calejar esse pé frango!

E ele ainda estava bem sujo quando eu cheguei ao lar doce lar


E, é isso! Fui!

0 comentários:

Postar um comentário