quarta-feira, 1 de julho de 2015

Sobre-idade

Por Caruh Goes

Estou escrevendo mas não estou sóbria! Não que tenha ingerido álcool ou me entorpecido com alguma coisa, porque não tenho mais idade pra isso... Idade... É sobre isso que queria falar: Estou escrevendo mas não tenho idade, não porque seja velha, ou caquética, muito pelo contrário, talvez alguns digam que falo do que nem sei. ('Pois vou falar, os incomodados que apertem ctrl+w')


PS.: De tão velha, tem uma vozinha fazendo comentários infames enquanto escrevo, parece uma versão minha mais nova ou mais velha, sei la, ela se acha super engraçada, se quiser ignorem, é o melhor jeito de seguir...


Esse tal de parkour parece coisa de jovem sem noção, por jovem não me refiro a faixa etária com mais de 20 e menos de 30, falo da mentalidade mesmo: aqueles que não medem conseguencias, não pensam no amanhã... 'Parece que não tem mãe!' gritou alguém aqui na minha consciência, algum desconhecido de alguma lembrança de um treino qualquer na rua...
Ta bom, você pode discordar, você q já passou da idade e ta ai pulando muro até hoje, mas você já passou da idade mesmo, ah, isso tu não pode discordar! Suas articulações aprenderam a falar, fazem 'crec' pra todo lugar, sua respiração a ofegar e seu tempo a esvair: 'treinar? Não da tempo, vá dormir!'

Já percebeu que a maioria das desistências do parkour tem a ver com as responsabilidades que vem com a idade? 'To estudando, to trabalhando, to namorando'. Tudo coisa de gente velha! (Não que gente nova não namore, mas quando gente velha namora é um tal de ficar junto o tempo todo, novinha a mãe nem deixa ver todo dia). A gente sabia que a responsabilidade ia chegar, quer dizer, alguém com certeza avisou, e se não avisou dava pra perceber olhando os outros; mas mesmo assim fizemos juras de amor, 'parkour pra sempre', 'nunca vou parar', 'vou ensinar meus netos'... Que coisa feia é a promessa quebrada! Se vai terminar, termina direito, não vai se afastando e inventando desculpas pra não ver mais! #soacho

Desculpa também é coisa de gente velha. Gente nova exala disposição!
E não to falando com você que só é velho de idade, to falando com você que é velho de treino! Que é a historia ambulante do parkour na sua cidade.

Lembra quando você listava seus amigos que desistiram do parkour? 'Tem o João q torceu o tornozelo, a Ana que a mãe proibiu de treinar e o Pedro que ta um pouco desanimado, mas logo ele volta', run, quero ver listar agora, te desafio! kkk
Mas relaxa que isso é normal, eu também nem consigo mais, é tanta gente entrando e saindo, tanta gente desde o começo ne?! Dá até uma nostalgia...
 
Lembra quando tu saia a noite e chapava todas? E não interessa se tinha que trabalhar, estudar ou treinar no outro dia, tu ia, virava a noite e no outro dia tava firme e forte rendendo. Agora só quer cama e Netflix! Mas se tu não lembra, nem eu, não fazia essas coisas; mas se fizesse, te garanto que seria isso mesmo que descrevi, hoje da preguiça só de pensar...

Lembra quando a gente saia comemorando em quase todo treino? Puts, bom demais! Era a precisão nova cravadinha, o cat leap do amiguinho, ou o novato que eu levei pro treino ('to demais, já to até fazendo discípulos').
'Agora eu só treino pra evoluir mesmo'. Altos conhecimentos aprofundados de treino, sei até uns nomes técnicos, ergonomia, hegemonia, essas coisas, não preciso mais de euforia: 'run adolescentes ridículos'.

'Kkkkk, tu treina só pra evoluir? Essa é boa, tu treina só pra se manter que eu sei' gritou alguém aqui na minha consciência, alguém que deveria ficar CALADA porque eu to ocupada filosofando...

Falando nisso, há quanto tempo não escrevo aqui, as vezes to tão ocupada, cansada... Antes queria relatar todas as minhas conquistas, qualquer besteira como uma precisão de 6 pés, uma trilha, só queria compartilhar e incentivar mais gente a evoluir e compartilhar também, num ciclo vicioso delicioso. Arrumava tempo pra escrever e tempo pra encher o saco das meninas pra escreverem também, agora não sei se as meninas ficaram velhas e desistiram de treinar ou só velhas e cansadas mesmo... Ta tudo bem, não te julgo, também to cansada...

Tava pensando sobre a minha idade, com toda a minha sobriedade e nem um pouco de novidade, pensei nos novatos de hoje em dia cada vez mais insanos. 'Mano, olha aquele novato, demorei 6 meses pra conseguir esse movimento que ele ta fazendo no primeiro treino? Argh! Na minha época tinha que se esforçar de verdade'. E quando raramente sou invadida por inveja (ou só ódio mesmo), lembro da Camila dizendo 'e se o outro tivesse passado por tudo que passei, será que ele aguentaria o tranco que nem eu? Ou ele diria 'to estudando; to trabalhando; ou só chega ne?! Já passei dessa idade', porque no final a minha evolução não se mede pelo outro, mas se baseia em mim mesma...
Uma pausa pra suspirar e deixar você pensar naquele medo de altura filha da mãe que tu tinha no começo e naquela precisão do alto que você fez no último treino... Pausa pra pensar em todos os seus músculos doloridos por falta de alongamento e você desafiando o amiguinho no espacate recentemente... Pausa profunda pra pensar no monte de obstáculos que tu teve que ultrapassar, metendo o cotovelo, a coxa, a bunda pra climbar, e continuar treinando até hoje...
Poque se você ta lendo isso aqui, acho que você não desistiu ne?! Quer dizer, mil caíram ao seu lado, dez mil a sua direita e você continuou saltitando, pois é...
Tu só ta naquela fase de treino super bem elaborado e nada espontâneo, de 'não fiz mais que minha obrigação', e 'merda de precisão de 11 pés que não cravo'. Aquela fase de ler textos longos e usar palavras bonitas nos debates (lembra quando você nem entendia os debates? kkk). Mas no final esse texto não é uma crítica, é uma reflexão de uma velha e os parabéns de uma parte nova que não sai de mim: 'você conseguiu, você prometeu um pra sempre e não me traiu'!


E já vou finalizar porque preciso dormir cedo, 'Durmo cedo porque sim!', e digo parabéns pra você também, que já pensou em desistir, que se transformou em alguém responsável, e que quando disse "caralho, quero fazer isso a vida toda" não disse só porque tava cheio de adrenalina na cabeça, disse porque QUER fazer isso a vida toda... Nos vemos aos 50!

5 comentários:

  1. Tá lendo meus pensamentos velhinha? Haha ótimo texto

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus que texto lindo! Parecia um filme passando em minha cabeça em vários momentos. Achei sua sobriedade incrível e acho que a vozinha que habita sua cabeça, só o fato de você se permiti-la ouvir é um sinal de maturidade muito alto. Não só no Parkour.

    "Que coisa feia é a promessa quebrada! Se vai terminar, termina direito, não vai se afastando e inventando desculpas pra não ver mais! #soacho"

    Isso é algo que eu ainda não consegui deixar de preconceituar. Se quer se afastar, o faça de cabeça erguida. Da mesma maneira que encarou os seus primeiros muros. Acho que entender que "não quer mais aquilo pra você" é também um sinal de crescimento. Mesmo que seja através da quebra de uma promessa.

    Enfim, eu poderia falar sobre muitos outros pontos desse texto, mas não gostaria de te importunar mais. E muito obrigado por ele. Eu sentia faltas de textos assim.

    ResponderExcluir
  3. Caramba! Genial e a forma como você escreveu é muito boa. Assim como a Poli estava com esse assunto na cabeça. Não da mesma forma, mas alguns pontos que você tocou me fizeram repensar e debater com esse velho chato que fez morada na minha mente.

    ResponderExcluir