segunda-feira, 11 de julho de 2011

Traceuse - Uma perspectiva e conselhos femininos sobre o Parkour

Parkour é, na sua essência, a arte de se mover adiante: uma disciplina na qual velocidade e eficiência são importantes quando aparecem obstáculos indo do ponto A ao ponto B. Ninguém inspira mais a elite de traceurs de todo o mundo, que o conhecido e fundador David Belle. Entretanto, o número de mulheres participantes na disciplina, mesmo crescendo, continua relativamente pequeno. Esse pequeno artigo é para responder alguns dos medos que mulheres podem ter quando começam a praticar Parkour e dá um aviso geral para todas as mulheres traceurspor aí.
A arte de escapar
Parkour ajuda na velocidade de reação e consciência física. Potencialmente essa é a melhor forma de auto-proteção que qualquer mulher poderia ter enquanto estiver andando ou passeando sozinha, porque uma praticante treinada no Parkour teria mais opções de fugir de certas ocasiões de ser atacada ou perseguida. Nessas condições, obstáculos como paredes, portões ou corrimãos não assustam a traceuse, mas sim, tornam-se uma rota de fuga.
Preparação
Muito parecido com uma arte marcial, o Parkour requer apenas a dedicação do interessado. Entretanto, vestir roupas que dão movimento e um bom tênis dará certeza que seu foco está puramente no seu desempenho e não no seu equipamento.
Problemas encontrados
Embora ser mulher tenha suas vantagens, há certos fatores óbvios que uma mulher precisa ser avisada; especialmente o fato que homens normalmente têm mais força que mulheres. Isso significa que levantar o peso do seu próprio corpo pode ser um certo desafio – e certamente cansar-se caso não tenha o devido condicionamento prévio. Então, quando uma mulher começa a treinar Parkour, os movimentos que requerem o uso de força superior do corpo apresentam dificuldade. Exemplos disso é se levantar após o “saut-du-bras” (pular sobre um vão e utilizar os braços para se agarrar do outro lado) e “wallrun” (transpondo paredes, nas quais, em paredes mais largas, envolve subir o corpo com os braços pra ajudar a escalar) com esse problema em mente, é uma boa idéia malhar em casa ou em alguma academia.
Outra diferença que é considerada é o fato de que homens se importam menos com pequenos ferimentos, podendo até se tornarem mais “arrogantes”. Entretanto, isso não significa que mulheres são menos capazes, pois elas podem desenvolver força para sustentar o peso corporal da mesma forma que os homens.
Vantagens do corpo feminino
Onde há inconveniências, também há vantagens em ser mulher. Notavelmente, mulheres têm uma flexibilidade natural melhor do que homens; isso pode significar mais extensão das juntas e músculos sem sofrer ferimentos. Ser menor também pode ser útil em certos movimentos, como corridas e saltos em velocidade através de espaços pequenos.
Consciência a respeito do ferimento
Um problema que precisa ser ressaltado quando se começa no Parkour, independentemente da idade, é como evitar ferimentos. Desenvolver força e flexibilidade a longo prazo é muito importante e irá reduzir as chances de lesões. Desenvolver o trabalho mental, alongar-se ao final dos treinos também podem ajudar muito na manutenção do seu corpo.
Como realizar uma aterrissagem é muito importante no Parkour, e um movimento básico que precisa ser treinado é o rolamento de lugares altos e o landing certo de lugares baixos. Aterrissando bem minimiza-se a dor nos joelhos e no tornozelo.
Medos
Todos têm medo em alguns pontos quando treina-se Parkour. Nosso corpo tem mecanismos de defesa para nos prevenir de nos machucarmos e, como você pode imaginar, correr e saltar sobre/em objetos para começar não é algo tão natural. Consequentemente, no começo, um traceurtem muitos medos. Com treinamento, a confiança cresce; é importante que você use seu corpo ao máximo em que você se sinta confiante e não permita que ninguém faça você se sentir pressionada a tentar algo que você não tem certeza se está pronta. Sempre haverá outro dia para melhorar seu nível e enfrentar os seus medos.
Progressão
Não é incomum no Parkour ouvir frases durante seu treino onde sua progressão diminui e depois aumenta. Isso ocorre porque pode demorar um tempo para sua mente alcançar sua habilidade física. A capacidade do seu corpo pode ter progredido a um ponto onde você sabe que você é capaz de passar obstáculos que são mais desafiantes, ou técnicas que são mais complexas. Entretanto, a parte mais difícil de progredir é superar seu medo – não importa quão capaz você é. Isso pode ser muito frustrante; entretanto, trabalhando com técnicas mentais e não diminuindo seu treinamento, eles podem ser superados rapidamente.
Nome: Traceuse - Uma perspectiva e conselhos femininos sobre Parkour
Autor: Liv Rowlands
Tradução: Sofia Magalhães
Adaptação: João Flávio Baêta


Data: Maio/ 2008

Um comentário:

  1. Muito bom o artigo. E muito interessante, principalmente para as inciantes terem uma percepção melhor do parkour, da sua força e do seu tempo para se desenvolver. Arrazou *-*

    ResponderExcluir