segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Priscilla Magalhães



Nome: Priscilla Magalhães

Cidade: Maceió - AL


Idade: 21 anos

Fale um pouco sobre você
Me chamo Priscilla Magalhães, tenho 21 anos, moro em Maceió - AL. Estou no 4° ano da Faculdade de Educação Física e no momento estagio em uma empresa dando aulas de Ginástica Laboral.


Como conheceu o parkour?
Conheci o Parkour há pouco mais de 2 anos através de dois amigos meus. A noção que eu tinha sobre a prática era bem superficial, não sabia muito bem como funcionava , mas achava interessante, afinal, era "esporte", e tudo que fosse ligado a ele, me interessava (e até hoje me interessa).
Acho que no começo não era bem vista pelo grupo. Afinal, era menina e tinha usado uma calça colada no seu primeiro dia de treino. Então, não me deram muito crédito. Era praticamente como se precisasse fazer uma bateria de testes para eu ser aceita no grupo. Hoje eu entendo o porque, e não me incomodo nem um pouco. É natural querer conhecer as "intenções" de alguém que deseja fazer parte de algo que você dá a vida por aquilo.

Por que o parkour?
Eu já havia praticado Dança, Handebol, Judô, mas nada se comparava ao que senti (fisicamente) quando treinei Parkour pela primeira vez. No começo era tudo muito novo pra mim, e me assustava. As dores musculares INSUPORTÁVEIS nos primeiros dias de treino, a falta de tato nas mãos, os arranhões, as batidas de canela. Depois que o susto passou, eu me sentia "a tal".. queria ser forte (em todos os aspectos) de qualquer jeito ! Mas eu aprendi que não era super mulher depois de bater os dois joelhos no concreto após uma precisão correndo, sem estar preparada para aquilo. Deste dia em diante, passei a fazer as coisas com mais cautela (e confesso que sou muito medrosa ainda! =x).

Em 2 anos de treino, o Parkour já teve pra mim, vários significados diferentes. Já me senti bem por fazer algo considerado "impossível" pelas pessoas comuns; por que queria ficar "forte"; já treinei Parkour puramente pensando no companheirismo que algumas pessoas poderiam me proporcionar.. Só que hoje, devido a algumas mudanças, estou numa fase da minha vida um pouco egoísta. Eu entendi que se eu quiser evoluir em alguma coisa, quiser crescer, só eu posso fazer isso por mim.

Vídeo da Priscilla com a Ísis Soares
PS: Um outro vídeo que a Priscilla apareceu neste ano foi o do Ibyanga (http://www.youtube.com/watch?v=GaJMq23MCKw).

4 comentários:

  1. Eu gostei muito da história da Pri. =]

    ResponderExcluir
  2. essa baixinha é uma fofa,
    esses nordestinos tem sido uma grande inspiraçao pra mim...

    ResponderExcluir
  3. olha o palavrão mulé.
    kkkkk....anda com fé eu vou que a fé não costuma faiá....gostei!!!

    ResponderExcluir