segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Brooke Bjerke

Nome: Brooke Bjerke

Cidade: Natal, RN

Idade: 20 anos

Fale um pouco sobre você:
Eu sou dos Estados Unidos, mas viajei para o Brasil há um ano e pouco para ficar com meu noivo, Stefanno de Lira, que também é traceur e free runner. Vou ficar aqui por mais alguns meses, treinando e trabalhando até nós voltarmos para os EUA. No futuro, a gente vai dividir nosso tempo entre aqui e lá. Estou estudando psicologia na faculdade, mas estou parada por enquanto. Eu gosto de cuidar de animais e, na verdade, sou vegetariana por causa disso. Também gosto de escrever e estou escrevendo artigos sobre parkour para o Yahoo! Eu nunca pratiquei nenhum esporte na minha vida. Então parkour é minha primeira atividade física.



Há quanto tempo você treina?
Eu treino há um ano, mas ou menos. Comecei quando cheguei aqui no Brasil.

Como você conheceu o parkour?
Eu conheci meu noivo, Stefanno, quando ele estava estudando nos States comigo. Eu ví um vídeo dele fazendo parkour e free running e eu disse,"Cara, eu quero aprender a fazer isso!" Então, quando cheguei no Brasil no ano passado, ele me ensinou os movimentos básicos. Eu comecei treinando com o time de Natal, Fluido Urbano. Aprendi muito com Stefanno e o resto do time e ainda estou aprendendo com eles.



O que você viu no parkour?
Eu nunca gostei de competição em esportes e atividades físicas. Também não gostei de comparar minhas habilidades com as de outras pessoas. Quando vi que no parkour, você só compete com você mesma, fiquei muito feliz.

O que o parkour significa para você?
Para mim especialmente, parkour significa o desenvolvimento pessoal. O parkour é maravilhoso para fortalecer a mente e o corpo. Eu estou sempre melhorando e me tornando mais disciplinada. Ao praticar parkour, fico mais forte a cada dia e a maior parte é na minha mente.

Quais foram os seus maiores desafios quando você começou a treinar parkour?
Pelo fato de eu nunca ter praticado nenhum esporte antes do parkour, meus músculos estavam fracos. Fiquei frustrada, algumas vezes, quando não podia fazer um movimento imediatamente. Eu vi outros aprendendo muito rápido e eu fiquei parada. Com o tempo, eu notei que cada pessoa é diferente e a velocidade não importa quando você está aprendendo parkour. Além disso, eu estava com um pouco de vergonha quando comecei, porque eu era a única mulher em nosso grupo, Fluido Urbano. Mais, com o tempo, eu fiquei mais confiante.





Um comentário:

  1. Brooke linda, já tive o prazer de treinar com ela!
    Espero ter mais vezes!

    Tem muita força de vontade, e isso no Parkour é essencial! :)

    ResponderExcluir