sábado, 20 de outubro de 2012

V ENCONTRO PERNAMBUCANO DE PARKOUR


Por Rebeca Medeiros, em http://elasnoparkour.blogspot.com.br


O V Encontro Pernambucano de Parkour (E.P.P.K) foi realizado nos dias 12,13 e 14 de outubro no Centro de convenções do Recife, associado ao evento que reuniu vários esportes e modalidades radicais " O Pernambuco Multi Esportes" produzido por Cláudio Queiroz que teve a brilhante ideia de reunir os esportes que mais crescem em nº de praticantes no Recife, entre eles, o parkour, BMX, inline, Artes Marciais, slackline, arena multiesportiva, vôlei sentado (paratletas), sem esquecer do skate que teve a atração mais esperada Sandro dias "o mineirinho",o nosso hexacampeão mundial pela World Cup Skateboarding (2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2011), tricampeão europeu (2001, 2003 e 2005) e com muitos outros prêmios merecidos nas costas, e Karen Jones a Bicampeã mundial na categoria vertical feminina






e apresentações de Break Dance e a 1ª Meia Maratona de Pernambuco. Além de tudo isso tivemos o nosso 1º encontro de parkour com pronto-socorro (oh yeah) que foi muito útil para todos os esportistas que tiveram pequenos machucados. Dispomos de praça de alimentação, stands de brincadeiras valendo brindes, stand de avaliação motora, stands de turismo, parecia um sonho divertido daqueles que a gente não quer acordar, mas Deus é tão bom que tudo foi realidade. Pra quem não sabe eu comecei a praticar parkour no III E.P.P.K no Espaço ciência em Recife/Olinda e nesse encontro eu comemorei meus 2 anos de prática, mais um motivo para eu estar extremamente feliz, e Deus me deu um presente maravilhoso, mas ainda não é a hora de contar, vamos começar do início (fato).
  
O meu instrutor e marketeiro Adilson Veron teve a oportunidade de bater o martelo com o produtor do evento para incluir o V E.P.PK no Pernambuco Multi Esportes, ele sabia que seria um ótimo investimento pois teria muitos benefícios em estrutura, segurança, qualidade, e organização para todos que fossem participar do evento. O Por quê eu não sei, foi alvo de críticas e posso dizer que ele seria muito burro se não fizesse o que fez. Não é a 1ª vez que digo isso, parece bajulação, mas não é, eu falo o que vejo e sei que mesmo com todos os defeitos que Veron tem ele nunca deixou de lutar pela melhor estrutura e não é a toa que a cada ano que passa, os encontros estão cada vez melhores, por que ele usa o cérebro e não perde tempo com revés. Todo mundo sabe que tudo que foi montado ali não saiu do bolso dele, mas sim da determinação e do amor que ele tem pelo parkour e pra ver o sorriso de satisfação, e claro, é investimento pro crescimento profissional dele, o que é certíssimo, ele estuda há anos pra isso. 

Fiquei envergonhada de ver que pessoas daqui se trocaram em discussões e palavras baixas com outras que nem sabiam o que estavam falando direito em relação ao nosso evento. Vamos crescer que tá na hora, o parkour não só se define por percurso, mas também somos uma família, vamos parar de palhaçada e evoluir a mente e amar mais uns aos outros que é a nossa missão. Infelizmente todas as pessoas que eu gostaria que viessem pra cá não puderam, tivemos se não estou enganada o encontro baiano de parkour e o encontro de parkour em Betim nas mesmas datas, mas eu tenho certeza que fluíram onde estavam. Ruan Samir (RN) esteve conosco no 1º dia, mas voltou com urgência para Natal, pois estava com a saúde fragilizada, pena, eu tenho certeza que iria aprender e rir muito com você, espero que esteja melhor agora. Outro praticante também esteve doente e teve que sair do evento.
Tive o imenso prazer de conhecer Ricardo. Um homem íntegro, inteligente, amoroso, um tracer brilhante, um novo irmão, um homem de Deus cara, não tenho palavras pra lhe descrever. Você é do jeitinho que eu imaginava, você é tão querido por Deus que onde você vai a galera te honra, isso é bíblico manolo. Você me ensinou coisas que eu nunca irei esquecer, tem coisas que você nem precisou abrir a boca pra me falar, Deus já fala pelas tuas atitudes.Amo você, sua esposa e o seu bebezinho...srsrssr.

 Felipe Strong, você é um chato, encheu meu saco pra eu aprender os movimentos direito. Quero aprender mais com você, você é o cara. Homens chatos e perseverantes como você só tendem a crescer e as pessoas crescem juntas porque te escutam. Entre os demais, Bartô dengoso, Odair mestre, PB, RN, CE, SP, Garanhus, Paudalho (interior das brabas de pernambuco),Equipes Fluído urbano, Família strong, Dragões voadores, Calangos urbanos, Percurso urbano, e o que for de equipe de parkour que esteve me ajudando, obrigada, vocês me motivam pacas, agradeço todo apoio e cooperação. Krisnara, foi ótimo treinar com você e receber suas dicas, você é muito doce. Duh meu irmão querido, é sempre um prazer te aconselhar, eu quero te ver sempre sorrindo e brincando rapaz, quase chorei quando você foi embora. É como Ricardo falou na palestra (2º dia do E.P.P.K), as pessoas que a gente mais ama moram longe da gente e ao mesmo tempo dentro do nosso coração. Percurso Urbano vocês são  a melhor equipe que eu poderia estar: Eliabe, Vagner, Bruce, Luciano Venzo, Dayvid Vinicius, amo vocês seus insuportáveis...e Cézar I LOVE YOU. 
Dicas de moda podiam pedir a David Potter (my love). Ele sempre estava com as roupas mais inusitadas, fazer o que, eu o amo do jeitinho que ele é, até andando pelas estruturas equilibrando uma garrafa na cabeça com todo mundo rindo.
1º dia- das 14:00 as 20:00 Hs . treino livre.
2º dia- das 10:00 as 20:00 Hs .
Iniciamos o dia com uma palestra, divididos em temas e estados para explicação.


Ficou:
  • Os métodos ativos de treino e suas características- Veron e Paulo Duracell (PE)

  • Natureza e sentidos do parkour- Rodrigo Florencio e Paulo Vítor (RN)

  • História e conceitos do parkour- Ricardo e Felipe Strong (CE)

  • História e conceitos do método natural de Georges Hebert que influenciou a prática do parkour- Eduardo Washington "o Duh" e Odair (PB)

Depois da palestra foram feitas perguntas sobre os determinados temas e brindes aos que acertavam.




Apoio: Abreus...rssrsrs
A palestra é sempre o momento mais emocionante do encontro, é onde podemos aprender mais sobre o que estamos fazendo ali, qual a nossa missão, e é o momento de desabafo, de compartilharmos experiências, testemunhos de vida, momento de aplausos, de lágrimas e de abraços. É onde nos unimos mais e reconhecemos que somos um só e dependemos um do outro pra seguir em frente .



Tivemos workshop a partir das 14:00 divididos em etapas de percurso e em instrutores diferenciados .
Consegui realizar um Wall Run num muro aparentemente alto, através dos conselhos técnicos e a força de Ricardo e Jonas Amaral (o irmão Gêmeo de Bruce). Machuquei os pulsos, os dedos, mas valeu. É assim que nos disciplinamos para melhorar os movimentos, descobrindo onde é que está errado.



3º dia- 10:00 as 17:00 Hs
Dolorida, cansada e sem disposição, parecia um zumbi, tentei dar um rolamento varando por cima do cavalo e dei um mal jeito na coluna. Tentei fazer monkey com precisão de um cavalo a outro e bati a canela de jeito, o 3º dia pra mim só serviu para se despedir da galera e pôr os assuntos em dia, estava um caco.
Agora chegou a hora de falar sobre os meus presentes. Bem, todos sabem que todo encontro de parkour tem aquela tradicional troca de camisas, pois é, eu não tinha para trocar, mas boca pra pedir eu tinha. Pedi uma camisa aqui, outra ali, e no último dia Rodrigo Florencio me deu a camisa do parkour cearense "Mantenha o Foco".

 Cara muito obrigada, eu realmente preciso, adorei a camisa. Jorge Fernando de Paudalho me disse que só me presentearia com a touca preta se ganhasse uma amiga, bobo, mesmo que não me desse eu já sou sua amiga pro que precisar e no que eu puder ajudar. Somos uma família lembra? Dionísio me deu uma munhequeira, obrigada mesmo, meu pulso já estava inchando. Agora eu não esperava Ricardo me chamando para me dar uma camisa linda do partour 2011 (Brasília). Ele disse:- Essa camisa que estou te dando é um presente que havia ganhado de um amigo, esse que aprendi muito e estou te dando porque ela tem um valor muito especial pra mim e sei que você vai cuidar bem dela. Então eu perguntei:- Então porque você está me dando? Ele disse pondo a mão no peito:- porque o que eu aprendi com esse amigo não tem preço, e o que eu passei lá tá guardado na minha lembrança e no meu coração, isso é o que importa.
Você tem toda razão Ricardo, o melhor presente em praticar parkour não está em matéria, está na mente e no coração, se eu evoluí até hoje foi por causa de vocês e sei que se estou mais feliz e determinada hoje é porque estou em ótimas companhias, por isso eu posso dizer que esse foi o melhor presente que eu pude receber nesse encontro:

 VOCÊS.

0 comentários:

Postar um comentário