domingo, 5 de fevereiro de 2012

5° Encontro Cearense de Parkour

Por Patricia Brisa



Não tem como falar do Encontro Cearense “por cima”, no “geral” como dizem. Eu penso que nem tem como falar de tudo, sem esquecer-se de algo. Pois o sentimento às vezes não é traduzido em palavras. Então,  vamos tentar.
Houveram imprevistos, dúvidas e preocupações. Tentamos (nós fortalezenses) fazer tudo perfeito para os que vinham de fora e para os que sempre estiveram aqui. Financeiramente algumas coisas não foram possíveis, mas sentimentalmente muita coisa se tornou perfeita. Tiramos, então, o primeiro aprendizado desse encontro, um dos muitos que vou tentar citar aqui: Quando se faz algo com o coração, a chance de se ter algo perfeito se multiplica a cada tentativa. A troca de aprendizado foi grande, como em todos os encontros que já presenciei. A calma de um traceur evoluído em ensinar um iniciante também predominou aliada a euforia de um iniciante em mostrar o que aprendeu e passar isso adiante. Tiramos então, o segundo aprendizado desse encontro: Ninguém nunca é muito pequeno para ensinar e ninguém nunca será muito grande para aprender.
Vimos que o buraco deixado por irmãos que se foram continua lá, provavelmente sempre continuará, intacto. Mas, percebemos que ao lado desse buraco moram nossos amigos com uma cordinha erguida a nós, essa
cordinha tem nome, força! Tiramos, então, o terceiro aprendizado desse encontro: O mundo nunca dará o conforto que a tua família sempre te deu, e nós somos uma família. Então seja forte.
A alegria por conhecer, reencontrar nossos irmãos se fez presente em todos os momentos desses três dias. Tiramos o quarto aprendizado desse encontro: Não importa a distância, não importa quem e como seja. Estamos todos conectados.
Se me pedissem para descrever esse encontro em uma palavra, eu não conseguiria. Cada segundo foi forte, intenso e marcante.



Mas foi no momento de reflexão que os maiores e acredito melhores aprendizados foram de certa forma, jogados na nossa cara, em forma de palavras. Tentarei descrever tudo o que foi dito, tudo que esta e tudo que ficará no meu coração após esse encontro.
“Simplicidade e Família. Levem isso com vocês!”
“Saudade dos irmãos que perdemos esse ano!”
“Às vezes usamos o trabalho, os estudos, a falta de tempo no geral pra justificar nossa falta nos treinos. ISSO NÃO É DESCULPA!”
“União, foi e é o sentimento que predomina entre nós, que assim seja durante todos os encontros, durante toda a nossa vida.”
“NINGUÉM É TÃO PEQUENO PRA ENSINAR E NÓS NUNCA SEREMOS TÃO GRANDE PARA APRENDER.”

Aonde quer que vocês estejam. Levem os abraços, beijos, sorriso e paz que cada um recebeu nesse encontro. E acima de tudo ouçam e guardem o que vou lhes dizer, usem isso no parkour e na vida de vocês:
Ame sua missão!



5° Encontro Cearense de Parkour

Na teoria: Encontro de Traceurs “doentes” por um esporte urbano, ainda hoje mal compreendido, com o mesmo sentimento no coração e na palma das mãos: Evolução.

Na prática: Reunião de irmãos, apaixonados por Parkour! Transmitindo energia pra quem quer que seja, unidos não somente por amor ao esporte.

Patrícia Brisa.

0 comentários:

Postar um comentário