terça-feira, 10 de abril de 2012

Minhas referências

Bem, acho que a origem de muitos, principalmente os mais antigos, no parkour se deva aos vídeos na Internet (e viva o Youtube em grande parte por isso!). Vejo muitas mulheres que treinam sempre citarem alguns nomes gringos e quase ficarem eufóricas ao lançamento de qualquer vídeo de tais ícones.

 Não critico quem assim faz. Porém, não sigo tais ícones. Já assisti a vários vídeos, mas talvez não seja tão impactada por eles pelo jeito que comecei a treinar. Foi por conta de um trabalho da faculdade que conheci a atividade e foi pela insistência de Toguro, Raxa e JJ que passei a treinar. Acho que não via tanta graça nos vídeos gringos porque estes nunca me passaram o que eu sentia a cada treino que frequentava.

Eu tive boas referências de treino. Por exemplo, sou fã incondicional da Angélica. Ela é gringa (chilena), mas às vezes parecia mais carioca que eu, tirando claro o meu lindo sotaque que é melhor que o dela (rs!!). Sabe os motivos de ser fanzoca da Angélica? Ela é uma mulher linda e o fato dela ter quase 50 (quando comecei a treinar com ela... hoje ela está com os seus 52 anos), era segurança que ela me passava em cada coisa que fazia. A atenção ao treino, a concentração ao pensar em fazer algo, e ao se jogar no que muitas vezes eu não tinha coragem de fazer nem se fosse pertinho... rs!! Sem contar que eu sabia que ela treinava sozinha quando podia, e treinar sozinha para mim, naquela época, era quase 'impensável'. Se você saber quem é a Angélica, há um único vídeo dela no Youtube (http://www.youtube.com/watch?v=dRZ4pmdF-Ro), olha lá.

Não sei... talvez as meninas com as quais eu comecei a treinar levavam o treino mais a sério. Todo domingo de manhã vencíamos a preguiça e treinávamos por algum canto do Rio. Me lembro da Crisna melhorando absurdos a cada treino e dizendo que todo mundo melhorava menos ela. Me bateu  um pouco de saudades das referências que eu tive e ainda tenho o prazer de treinar. Espero que as mulheres que hoje treinam comigo tenham essa garra que via nos treinos com a Angélica e a Crisna, e que me façam sentir saudades disso daqui a algum tempo... =]

Bruna, bora organizar o próximo treino?! rs!!


9 comentários:

  1. Que texto lindo. Sabe o que eu acho interessante? No Brasil e no mundo estabeleceu-se essa politica de que um "ícono" ou uma "inspiração" para o Parkour é aquela pessoa foda, com um video foda, na midia, nos campeonatos e que filma em full hd.

    Isso nunca fez parte da minha realidade e cerca de 80% dessas referencias dos outros me são totalmente estranhas. Não conheço a grande maioria dos nomes que são citados sempre.

    Mas em contrapartida meus ícones normalmente são desconhecidos por essas pessoas tb. Eu vou ser bastante sincero... eu tenho vergonha da Angélica. Quando a vi pela primeira vez eu tive a coragem de dizer: "olha, eu estou emocionado de participar de um treino com você e queria dizer que você é uma inspiração pra mim. Meus parabéns mesmo!". Acho que ela nem se lembra disso...

    Eu a considero de uma grandeza tão grande que fico com vergonha de falar com ela nos encontros (e já nos vimos 2 outras vezes depois disso). E como ela existem outras: pessoas que são incriveis, semi-anonimas e que de fato representam aquilo que eu acredito dentro do Parkour.

    Gostei muito de você tocar nesse assunto e ressaltá-las.

    ResponderExcluir
  2. comecei a treinar a pouco tempo e tou acompanhando este blog.
    só tem post massa!
    :)
    me inspira a treinar com cada vez mais garra - e de lupina! :)
    tenho tatuado nas pernas "correndo com os lobos", e vejo como o pk me faz correr, saltar e respirar com xs lobxs!
    gratidão a todxs da família! e parabéns às mulheres e garotas que treinam com tanta força e delicadeza!
    um xêro, direto do recife!

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz ao ver que algumas pessoas se sentiram tocadas pelo texto. Bom saber que eu não sou a única também. =]

    ResponderExcluir
  4. Tati eu sou meio gringo também... rs

    Att JJ.

    ResponderExcluir
  5. Quando eu conheci o JJ, ele era tímido e o JC tinha sotaque. rs!!

    ResponderExcluir
  6. Adorei o texto Tati!
    Confesso que as vezes, já cheguei a ficar sem graça com alguém falando do vídeo novo de tal pessoa, que parecia ser 'famoso' no parkour e eu nem se quer sabia quem era...
    Eu assisto a vários vídeos sempre que posso, principalmente quando estou sem tempo para treinar, isso parece que me da uma inquietação, uma sede imensa de treino! E, para falar a verdade, não consigo sair decorando os nomes dos vídeos BRs que assisto, imagine então dos gringos!

    Bons treinos para você!

    ResponderExcluir